Telefone (11)5584.8399
Telefone (11)5589.9856
Av. Dr. Altino Arantes, 1150 São Paulo - SP
Close
Av. Dr. Altino Arantes, 1150 São Paulo - SP
(11)5584.8399 tecnotherm@tecnotherm.com.br

Projeto de climatização: 7 passos para fazê-lo

Diretor da Tecno Therm, Andre AltobelloEntender as necessidades do ambiente a ser climatizado é a primeira etapa para montar um projeto de climatização. O trabalho, contudo, não termina aí. Há uma série de outros estágios importantes para serem executadas por engenheiros, projetistas e equipe técnica. Diretor da Tecno Therm, Andre Altobello preparou um passo a passo para guiar sua empresa.

Ele ressalta que há ainda um estágio inicial fundamental, que precede a dica que abre o texto. Segundo o diretor da Tecno Therm, para ter um ambiente refrigerado de forma eficiente, contratar uma empresa especializada é primordial. “Quem não faz isso, normalmente acaba com uma conta de energia mais alta e ainda não tem o ambiente climatizado de forma satisfatória”, diz o executivo. “Por isso, ter o apoio de uma equipe técnica capacitada é tão importante em um projeto de climatização. Ela garante que todos os aspectos que envolvem a climatização sejam apreciados, trazendo mais eficiência”, completa.

Antes de começar, Altobello elenca alguns aspectos que precisam ser levados em conta para balizar o projeto de climatização. Umidade, renovação do ar, pressão e temperatura desejada são fatores-chaves. São eles que permitem aos projetistas saberem a quantidade de equipamentos necessária para climatizar os ambientes, por exemplo.

Projeto de climatização: passo a passoPasso a passo para projeto de climatização
  1. Levantamento de dados técnicos: obtenha dados sobre área a ser condicionada. Quantas pessoas trabalham ali? Qual a infiltração do calor entre paredes internas? Contabilize o número de janelas e portas, bem como meça a emissão de calor de equipamentos como computadores e luminárias.
  2. Faça um esboço: analise atentamente as possibilidades de posições ideais para os aparelhos de ar condicionado. Tenha sempre em mente aspectos como desempenho e eficiência energética.
  3. Cálculo da carga térmica: com os dados técnicos em mãos, é hora de calcular o correto dimensionamento das capacidades dos equipamentos. Nesta etapa, a precisão é importante para que não haja super ou sub dimensionamentos.
  4. Escolha dos equipamentos: com a carga calculada e o esboço em mãos, fica mais fácil entender as possibilidades arquiteturais da instalação. Será possível entender qual equipamento melhor atende cada ambiente: um split tipo high wall ou para dutos? Sistemas multi Split ou VRV? Vale lembrar que essa escolha é vital para o próximo passo.
  5. Dimensionamento de dutos: caso a instalação for dimensionada para aparelhos com distribuição via dutos, calcule bem para que a distribuição do ar seja efetiva do começo ao fim da linha de dutos. Este cálculo envolve a área interna dos dutos, a velocidade e pressão do ar dentro deles. Fatores como a perda de carga que ocorre devido a curvas também precisam ser avaliados. Com tudo isso feito, é criado um projeto de dutos.
  6. Dimensionamento das bocas de ar: observe a posição da boca que insufla o ar já condicionado de dentro dos dutos ao ambiente para calcular essa etapa. Analise também a vazão e a velocidade do ar que deve ser insuflado através dela, conforme a necessidade de cada ambiente. Essas bocas podem ser difusores, grelhas e tomadas de ar externo, entre outros. Relembre também nosso post com dicas sobre dimensionamento de ar.
  7. Memorial descritivo: a partir de todas essas determinações, é feito um memorial descritivo para a execução do projeto e instalação do sistema.