Telefone (11)5584.8399
Telefone (11)5589.9856
Av. Dr. Altino Arantes, 1150 São Paulo - SP
Close
Av. Dr. Altino Arantes, 1150 São Paulo - SP
(11)5584.8399 tecnotherm@tecnotherm.com.br

Harbin Opera House: projeto da semana

Harbin Opera House, na ChinaAs lindas esculturas de gelo do festival de inverno anual de Harbin colocaram a cidade chinesa no mapa. Este ano, contudo, o município ganhou novo motivo para visita: o Harbin Opera House. Feito pelo escritório MAD Architects, o projeto – com suas curvas – remete à herança cultural da região.

O teto é um show à parte. Gigantesco (são quase 80 mil metros quadrados), ele é todo branco (cor de neve) e orna com o ambiente externo. Não é para menos, neve é algo comum no inverno de Harbin. No interior, o arrojado e bonito Harbin Opera House busca uma estética contemporânea. Destaque para as paredes brancas, as claraboias e as toneladas de madeira utilizadas.

Fundador da MAD Architects, que tem sede em Pequim, Ma Yansong espera que a construção inspire novo projetos com essa pegada mais natural. Para ele, isso é essencial para cidades densamente povoadas. Harbin, por exemplo, é o lar de 3,4 milhões de pessoas. “Há um aspecto emocional de arquitetura e espaço urbano que está faltando na arquitetura moderna e planejamento urbano”, diz Ma.

Harbin Opera House

A Harbin Opera House é a peça central da agitação cultural da Ilha de Harbin. O local é um novo hub de artes na região, que incluirá um centro de recreação e uma praça. “Quero fazer uma mistura com os modernos edifícios no horizonte. O objetivo é que a Harbin Opera House se sinta como parte da paisagem”, diz Ma.

Enquanto modernos edifícios povoam as cidades chinesas, e se impondo na paisagem, o teatro vem mudar isso. A estrutura de cor branca como a neve tem uma estética suave. A escada em espiral na parte exterior leva a uma mirante. Dali é possível explorar cada polegada da casa de ópera.

Uma ópera não deve ter apenas uma finalidade artística, avalia Ma. Segundo ele, o edifício estará sempre aberta ao público. Há ainda um pavilhão ao ar livre para apresentações, casamentos e piqueniques. “É arte que as pessoas podem olhar, entrar e usar”, diz Ma, “Eu acho que isso é o que eu quero trazer para a arquitetura. Ir além do funcional – a forma, o espaço e a luz. Quero trazer atmosfera”, completa. Pela foto, acredito que ele tenha tido sucesso.